Calendário de vacinação de Curitiba 2020 – Quando e Quais tomar

Campanhas de vacinação são realizadas anualmente de modo a imunizar a população contra algumas doenças comuns no Brasil. Se você é de Curitiba e quer saber um pouco mais sobre o calendário de vacinação para 200 na cidade, confira este guia completo que preparamos para você.

Calendário Nacional de Vacinação

Todos os anos, o Ministério da Saúde, seguindo orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulga o Calendário Anual de Vacinação. Este calendário não especifica datas, em particular, mas determina a idade para se tomar determinadas vacinas. Com base nesse calendário, você pode ver que vacinas você ainda precisa tomar para estar com sua carteira de vacinação em dia.

Segundo o Calendário nacional de Vacinação, deve-se tomar as seguintes vacinas nas seguintes faixas etárias:

Ao Nascer

  • vacina contra BCG e
  • primeira dose contra Hepatite B;

Aos 2 meses

  • primeiras doses da Penta/DTP,
  • VIP/VOP,
  • Pneumocócica e
  • Rotavírus Humano;

Aos 3 Meses

  • primeira dose contra Meningocócica C;

Aos 4 Meses

  • segundas doses da Penta/DTP,
  • VIP/VOP,
  • Pneumocócica e
  • Rotavírus Humano;

Aos 5 Meses

  •  segunda dose contra Meningocócica C;

Aos 6 Meses

  • terceiras doses da Penta/DTP e
  • VIP/VOP;

Aos 9 meses

  • dose única contra a Febre Amarela;

Aos 12 meses

  • reforços contra a Pneumocócica e
  • Meningocócica C e primeira dose contra a tríplice viral;

Aos 15 meses

  • primeiros reforços da Penta/DTP;
  • VIP/VOP;
  • Hepatite A e
  • Tetra Viral;

Aos 4 anos de idade

  • segundos reforços da Penta/DTP;
  • uma dose contra a Varicela;

Aos 5 anos de idade

  • uma dose, dependendo da situação vacinal anterior com a PNM10v, contra a Pneumocócica 23V;

Aos 9 anos de idade

  • vacina contra HPV para meninas entre 9 e 14 anos;

Entre 10 e 19 anos de idade

  • 3 doses contra a Hepatite B,
  • 1 reforço ou dose única contra a Meningocócica C,
  • dose única contra a Febre Amarela,
  • duas doses da Tríplice Viral
  • uma dose da pneumocócica 23V,
  • 2 doses da HPV para meninos entre 11 e 14 anos e para meninas entre 9 e 14 anos;
  • Dupla Adulta, com reforço a cada dez anos;

Entre 10 e 19 anos

  • 3 doses contra a Hepatite B,
  • 1 reforço ou dose única contra a Meningocócica C (entre 11 e 14 anos),
  • dose única contra a Febre Amarela,
  • duas doses da Tríplice Viral
  • uma dose da pneumocócica 23V, dependendo da situação vacinal anterior;
  • 2 doses da HPV para meninos entre 11 e 14 anos e para meninas entre 9 e 14 anos;
  • Dupla Adulta, com reforço a cada dez anos;

Entre 20 e 59 anos

  • 3 doses contra a Hepatite B,
  • dose única contra a Febre Amarela,
  • 2 doses (entre 20 e 29 anos) e 1 dose (entre 30 a 49 anos) da Tríplice Viral,
  • uma dose da Pneumocócica 23V,
  • dependendo da situação vacinal anterior;
  • Dupla Adulta, com reforço a cada dez anos;

A partir dos 60 anos

  • 3 doses contra a Hepatite B,
  • dose única contra a Febre Amarela,
  • reforço da pneumocócica 23V,
  • Dupla Adulta, com reforço a cada dez anos;

Gestantes

  • 3 doses contra Hepatite B,
  • 3 doses da Dupla Adulta, dependendo da gestação anterior;
  • DTpa.

Se você ainda não tomou alguma vacina da sua faixa etária, ou de faixas etárias anteriores, dirija-se o quanto antes à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima à sua casa a fim de regularizar sua situação.

Grupos prioritários 

Cada vacina tem seu próprio grupo prioritário, a depender de uma série de fatores, como incidência maior da doença em indivíduos de determinadas faixas etárias ou em algumas regiões em particular do Brasil. Portanto, é muito difícil delimitar um grupo prioritário que sirva para todas as vacinas.

Ainda assim, é possível listar alguns dos indivíduos que geralmente fazem parte dos chamados grupos prioritários, ou seja, indivíduos que têm preferência na hora de tomar grande parte das vacinas. São eles:

  • Idosos, acima de 55 anos;
  • Crianças entre 6 meses e 6 anos;
  • Grávidas;
  • Puérperas (mulheres que deram à luz há pouco tempo);
  • Professores das redes privada e pública;
  • Pessoas que trabalham na área da saúde;
  • Índios;
  • Adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos e que estejam sob medida socioeducativa;
  • indivíduos em regime fechado (presos), bem como os profissionais do sistema prisional;
  • Portadores de doenças crônicas;
  • Todos os indivíduos em situação ou área de risco.

Principais campanhas de vacinação em Curitiba 2020

Anualmente, as Secretarias de Saúde também realizam campanhas de vacinações espalhadas por todo o território nacional. Algumas das campanhas de vacinações que geralmente ocorrem na cidade de Curitiba, e que possivelmente acontecerão, também, neste ano de 2020, são as seguintes:

Calendário de vacinação

  • Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo (entre outubro e novembro)
  • Gripe (entre abril e maio)
  • Catapora (entre outubro e novembro)
  • Febre amarela (geralmente, apenas em períodos e regiões com surto da doença)
  • Poliomielite (em agosto)

A vacinação contra as demais doenças do Calendário Nacional de Vacinação pode ser tomada em qualquer época do ano, bastando dirigir-se à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima à sua residência. As campanhas são geralmente realizadas para intensificar a vacinação e o controle de determinadas doenças, especialmente em regiões e épocas de surto. É o caso, por exemplo, da vacina contra a febre amarela ou contra o HPV.

Fique atento a possíveis novas campanhas para conter eventuais surtos na região de Curitiba. Para isso, acesse este site, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, e confira as novidades.

Como tomar as vacinas?

Para tomar qualquer uma das vacinas mencionadas neste guia, basta se dirigir à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência. Nela, as vacinas são gratuitas, bastando se cadastrar presencialmente na Unidade. Algumas das vacinas, entretanto, podem estar sujeitas a disponibilidade de estoque, especialmente aquelas dadas apenas em campanhas de vacinação (como a da gripe).

Você também pode buscar as vacinas na rede privada. Para isso, entretanto, você precisará pagar pela unidade da vacina, geralmente mesmo se você tiver convênio com a rede privada.

Contraindicações

Cada vacina tem suas próprias contraindicações. Convém informar-se diretamente na UBS se você pode ou não tomar determinada vacina.

Algumas contraindicações comuns, entretanto, valendo geralmente para todas as vacinas, são as seguintes:

  • Crianças com menos de 6 meses de vida;
  • Pessoas que tenham tido reações negativas a doses anteriores de vacina;
  • Pessoas com alergia a ovo e seus derivados.

Rafaela Trevisan Cortes

Rafaela Trevisan Cortes, jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content