Campanha de Vacinação Santo André 2020 – Principais Informações

O Programa Nacional de Imunizações (PNI) foi criado pelo governo brasileiro com o objetivo de sistematizar o sistema de vacinações e conscientizar a população sobre a importância de ser imunizado para a prevenção de doenças, principalmente das contagiosas.

O programa foi desenvolvido considerando o risco da doença, a vulnerabilidade dos grupos e nas especificidades de cada um, como idade mais vulnerável, para definir quais doenças seriam priorizadas, o número de doses e o grupo de risco.

O Programa definiu então o calendário de vacinações e é regulamentado pela Portaria Ministerial nº 1.498, de 19 de julho de 2013.

Além das vacinas que constam nesse calendário, a Secretária de Saúde realiza campanhas de vacinações específicas para outras doenças. Essas campanhas são focadas em doenças que são mais frequentes em determinados períodos do ano ou quando há surtos de doenças.

Confira abaixo a Campanha de Vacinação de Santo André em 2020.

Como funciona

As campanhas de vacinação ocorrem para conscientizar a população sobre a necessidade de manter a caderneta de vacinações atualizada e para conseguir realizar a imunização da maior parte da população, principalmente das pessoas pertencentes aos grupos prioritários.

Grupos prioritários

vacinação santo andré

Os grupos prioritários para serem imunizados durante as campanhas de vacinação dependem da doença que está sendo combatida. Mas, no geral, esses grupos são compostos pelas pessoas que possuem o sistema imunológico mais suscetível.

Para as maiorias das doenças, as campanhas de vacinação focam em imunizar primeiramente crianças menores de 10 anos, idosos e mulheres grávidas. Além disso, pessoas que trabalham na área da saúde e educação são também prioritários, bem como indígenas, pacientes com doenças crônicas não transmissíveis, e carcerários.

Quem não deve tomar a vacina

Para saber quem não deve tomar determinada vacina é preferível consultar os enfermeiros ou médicos participantes da campanha de vacinação. Geralmente, pessoas alérgicas a algum componente da vacina, como ovos, ou que desenvolveram a doença após a primeira dose não devem ser imunizadas novamente.

Principais vacinas ofertadas por temporada

As vacinas que são contempladas pelo Calendário Nacional de Vacinação podem ser tomadas durante todo o ano nas Unidades Básicas de Saúde.

No entanto, algumas doenças que surgem em determinada épocas do ano possuem campanhas específicas durante o período. A campanha de vacinação mais popular em todo Brasil é a contra gripe, que costuma ocorrer entre maio e julho anualmente.

Em 2019, o surto do sarampo também fez necessário o estabelecimento de uma campanha para imunizar o maior número de pessoas possíveis durante o mês de outubro. Mesmo sendo uma doença contemplada no calendário nacional de vacinações, através da aplicação da tríplice viral que imuniza também contra o sarampo, a doença voltou a aparecer com mais frequência na população.

Assim, surgiu, além das doses em bebês aos 12 e 15 meses de idade, é necessário aplicar a vacina na dose 0, antes dos 12 meses.

Infelizmente, bebês menores de 6 meses não devem ser imunizados. Por isso, a principal recomendação aos pais é evitar a exposição dessas crianças em locais com muita gente e manter a higienização adequada.

Documentação

Os principais documentos que devem ser levados no dia da vacinação são: a carteira de vacinações e um documento de identidade original com foto.

Caso você não possua o cartão de vacinação, é possível solicitar um “cartão espelho” na UBS mais próxima de sua residência. Esse documento contém os registros de vacinas que já foram aplicadas até o momento.

Em alguns casos é necessário levar outros documentos caso você pertença a algum dos outros grupos abaixo:

  • Portadores de doenças crônicas ou de outras condições clínicas especiais: precisam levar a prescrição médica que contenha a justificativa para o recebimento da vacina. Se o paciente possuir cadastrado no programa de controle das doenças crônicas do SUS, ele pode receber a dose sem a necessidade de apresentação desse documento no posto onde foi feito o cadastro,
  • Mulheres puérperas: precisam apresentar o comprovante da gestação (por exemplo, certidão de nascimento do filho, cartão da gestante ou documento do hospital onde o parto foi realizado),
  • Idosos: devem levar o documento oficial com foto,
  • Profissionais da educação e saúde: podem apresentar somente o crachá ou contracheque.

Datas e locais

Infelizmente, as datas das campanhas de vacinação em Santo André em 2020 ainda não foram divulgadas.

Para receber as vacinas, basta ir até uma UBS ou unidade de saúde da família (UBSF) de segunda a sexta-feira.

Lembre-se que cada posto possui um dia e horário específico para algumas vacinas, portanto é indicado consultar o local antes.

Patrícia Fischer

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content