Vacina BCG 2020 – Como e onde tomar, Documentos e Datas

A vacina BCG garante imunização contra a tuberculose, uma doença bacteriana que ataca os pulmões e pode ser grave, levando ao óbito. Por ano, são diagnosticados 70 mil novos casos no Brasil, com cerca de 4 mil mortes.

Aqui, informamos todos os detalhes sobre a vacina BCG 2020 para garantia de que fique devidamente imunizado contra a doença.

Como funciona a vacina BCG?

A vacina BCG é disponibilizada durante todo o ano pelo Ministério da Saúde em diferentes locais, como hospitais, clínicas médicas e postos de saúde. Curiosamente, ela é administrada somente em crianças, já que não é capaz e proteger suficientemente os adultos.

De modo geral, a vacina é aplicada em dose única, normalmente no recém-nascido. Trata-se de uma imunização intradérmica, isto é, aplicada entre a derme e a epiderme.

Sua composição é feita pelo bacilo de Calmette-Gérin – origem do nome BCG – obtido pela atenuação de uma das bactérias que causam a tuberculose. Como adicional, também há glutamato de sódio e solução fisiológica. A dose única intravenosa tem eficácia de 100%.

Vacina BCG

Grupo de prioridade da vacina BCG 2020

A vacina BCG possui um grupo de prioridade bastante específico. Abaixo, apresentamos quem é obrigado a se imunizar:

 

  • Recém-nascidos e crianças de até 5 anos

A BCG tende a ser aplicada no recém-nascido logo após o parto, para garantir a imunização do bebê o mais rápido possível. Caso a vacina não seja dada nessa ocasião, indica-se levar o bebê o mais rápido possível a um posto de saúde para aplicação gratuita quanto antes.

Se for impossível vacinar o bebê logo depois do parto, recomenda-se que a imunização seja realizada em crianças de até 5 anos. Mas, tenha em mente que quanto mais cedo for, melhor.

Quem não deve tomar a vacina BCG 2020

A vacina BCG possui contraindicações pontuais que devem ser consideradas. Veja, a seguir, quais são elas:

 

  • Adultos – É cientificamente comprovado que a vacina não imuniza suficientemente os adultos, por isso não faz diferença tomá-la porque não elimina a suscetibilidade à doença.
  • Bebês e crianças com HIV sintomático – Caso o bebê ou criança tenha HIV sintomático e imunodepressão, a vacinação não é indicada. Somente em casos assintomáticos e sem imunodepressão a BCG é liberada.
  • Recém-nascidos abaixo do peso ideal – Se o recém-nascido tiver menos de 2 mil gramas, recomenda-se adiar a administração da vacina até que atinja esse peso, que é considerado o ideal para imunizações.
  • Bebês e crianças alérgicas à vacina – Bebês e crianças com hipersensibilidade/alergia aos componentes da vacina não devem tomá-la, para evitar o risco de desenvolver uma reação mais grave.

quanto tomar vacina bcg

Requisitos para tomar a vacina

Para que a vacina BCG 2020 seja administrada é preciso que a pessoa a ser imunizada cumpra dois requisitos básicos, a saber:

  • Estar dentro do grupo de prioridade da vacina BCG;
  • Não ter contraindicações à vacina, como doenças específicas ou alergia.

Documentos necessários

Como a vacina é aplicada em recém-nascidos e crianças, poucos documentos são solicitados em postos de vacinação públicos ou privados. São eles:

  • Certidão de nascimento (se já tiver o documento);
  • Cartão de vacinação.

Onde tomar a vacina BCG e Quando

A vacina BCG é aplicada em hospitais logo depois do parto. Se não for administrada nesses locais, recomenda-se que os pais levem o bebê até um posto de saúde do SUS para imunização gratuita.

Outros locais de vacinação são o CRIE (Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais, que pertence ao governo), laboratórios, clínicas e hospitais particulares – na rede particular.

A imunização contra tuberculose não tem data específica para ser feita, inclusive a vacina pode ser tomada em qualquer época do ano, desde que a pessoa esteja dentro do grupo de prioridade.

Reação da Vacina BCG – Quais os efeitos colaterais?

A principal reação adversa da vacina BCG é a cicatriz. Nos primeiros dias fica uma mancha vermelha no local onde foi dada a picada, depois, evolui para uma pequena úlcera que produz secreção e vai secando até cicatrizar por completo.  O evento pode demorar de 2 a 4 semanas para ocorrer.

Além disso, também podem ser constatados gânglios ou abcessos na pele e nas axilas, disseminação do acilo causando feridas no corpo. Estas situações são pouco recorrentes, atingindo somente 10% do público vacinado, conforme informações do Ministério da Saúde.

Cicatriz vacinal da BCG

Quase sempre a vacina BCG deixa uma pequena cicatriz no braço direito, medindo até 1 cm. Até pouco tempo atrás acreditava-se que a presença dessa marca era garantia de que a criança foi corretamente imunizada.

No entanto, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o CTAI (Comitê Técnico Assessor de Imunizações) mudaram essa regra. Depois de vários estudos, ficou comprovado que se a criança receber a vacina e não ficar com a cicatriz, ela estará imunizada do mesmo jeito.

Assim, evita-se que a criança tenha de tomar uma dose a mais desnecessária, já que essa aplicação extra não traria benefícios adicionais. Além disso, reduz-se o número de vacinas administradas em crianças, que atualmente é de 14 imunizações. Por isso, não se preocupe a vacina não provocar a marca.

Cicatriz da Vacina BCG

Números de prevenção contra tuberculose no Brasil e no Mundo

O fenômeno anti-vacina também impactou na prevenção a tuberculose no Brasil e no mundo. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2017 um total de 96,2% do país estava imunizado, número que caiu para 87,5% no ano seguinte.

Por conta da tendência de diminuição é que as Secretarias de Estado estão reforçando as campanhas de vacinação em todo o país, sobretudo em relação à vacinação infantil. 

Rafaela Trevisan Cortes

Rafaela Trevisan Cortes, jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content