Vacina dTpa 2020 – Como funciona? Quem deve tomar? Quando tomar?

A vacinação evita uma série de doenças comuns em todo o mundo e também já conseguiu extinguir alguns desses problemas do planeta. O ditado popular “melhor prevenir do que remediar” faz sentido quando o assunto é se imunizar e fazer com que um problema de saúde pública fique apenas na história.

Poliomelite, rubéola, coqueluche e até o tétano, são males que foram reduzidos consideravelmente com a aplicação de vacinas. Seja criança, adolescente, jovem ou idoso, é importante estar protegido em qualquer fase da vida. Durante a gestação, a única vacina capaz de imunizar a mãe e o bebê contra três doenças graves é dTpa, confira algumas informações sobre esse medicamento:

Como funciona a vacina dTpa?

A dTpa, ou tríplice bacteriana acelular do tipo adulto, é a vacina que imuniza mães e bebês contra difteria, tétano e coqueluche. A imunização com a doença está prevista no Calendário de Vacinação das Gestantes e deve ser aplicada a partir da vigésima semana de gestação com apenas uma dose.

O objetivo da vacina dTpa em gestantes é diminuir os índices da coqueluche, principalmente em crianças de 0 a 2 meses. Como não há transmissão vertical, a mãe passa a imunidade passiva para o feto. Dessa forma, quando a criança nascer, ela terá anticorpos protetores até que possa receber a pentavalente, aos dois meses de vida.

Quando receber a vacina dTpa?

Para receber a vacinação, a gestante precisa estar com idade gestacional – nome dado a idade do feto na barriga da mãe – acima de 20 semanas. Normalmente, a aplicação do medicamento é feita, preferencialmente, entre 27 e 36 semanas.

É bom lembrar que a mulher deve ser vacinada em todas as gestações, independente de quando tomou a última dose da vacina dTpa, já que precisa também imunizar o feto e mantê-lo seguro.

Além de gestantes, quem pode receber a vacina?

A dTpa é obrigatória para toda a gestação, mas, mesmo assim, algumas pessoas também precisam ser vacinadas. A dose pode ser aplicada como reforço entre os 4 e 5 anos de idade, além de adolescentes, adultos e idosos.

Especificamente, crianças maiores de sete anos, adolescentes e adultos que não tomaram ou não tem o registro de três doses da vacina, devem tomar uma dose da dTpa, seguida de duas ou três doses da dT.

Quem não deve tomar a vacina?

Mesmo protegendo contra três vacinas graves, a dose é contraindicada em pessoas que apresentaram anafilaxia ou sintomas neurológicos causados por algum componente da vacina ou depois de tomar dose anterior.

Ainda, em alguns casos, a dTpa pode ter alguns eventos adversos. Os mais comuns são: irritabilidade, sonolência, reações no local da aplicação (como dor, vermelhidão e inchaço) e fadiga. Em outras situações, quem tomar a vacina pode ter falta de apetite, dor de cabeça, diarreia, vômito e febre.

Em casos mais raros, que não são tão comuns, as pessoas podem sofrer distúrbios de atenção, irritação nos olhos e erupção na pele, além de febre, faringite e coceira. Se isso acontecer, vá ao médico mais próximo com urgência e lembre que você tomou a dTpa recentemente.

Quando tomar a vacina dTpa?

Diferente da maioria das vacinas, a dTpa não tem um calendário e período definido para imunizar as pessoas. De acordo com o Ministério da Saúde, o medicamento será fornecido aos hospitais e unidades básicas de saúde de todo o país para que as gestantes sejam imunizadas a partir da 20ª semana.

Para tomar a vacina, a grávida não precisa de prescrição médica. Basta procurar uma das mais de 36 mil salas que aplicam a vacina em todo o Brasil e apresentar a caderneta de gestante.

Outras vacinas para gestantes

Além da dTpa, o Ministério da Saúde oferta outras três vacinas para gestantes: dT (difteria e tétano), hepatite B e gripe (que faz parte das campanhas anuais). Ao receber a imunização, a mulher transfere os anticorpos para a placenta e também pelo leite materno.

Lembrando que essa proteção é fundamental para que a criança tenha um sistema imunológico fortalecido nos primeiros meses de vida da criança.

Gilmar Penter

Fotógrafo, ator e comunicador. Gil é apaixonado pelas artes e pela aventura que é a vida. Nas palavras, vê uma chance de mudar o mundo, mesmo que para isso tenha que vir até ele, afinal, passa muito mais tempo no mundo da lua.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content