Vacina da Febre Amarela São Paulo 2020 – Saiba quando tomar

Nos últimos anos, o Brasil voltou a ter surtos de febre amarela mesmo com a vacinação contra essa doença já sendo parte da rotina em 19 estados brasileiros (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina).

As novidades para a vacinação contra a febre amarela em 2020 contam com uma dose de reforço para crianças de 4 anos e a ampliação da imunização para mais de mil municípios no Nordeste. Assim, todo o território nacional passa a abranger a vacinação contra a febre amarela no Calendário de Vacinação.

A vacina é a medida mais eficaz para a prevenção e controle da febre amarela. Portanto, para proteger você e sua família você deve estar atento a sua carteira de vacinação e conferir se já está imunizado.

Como funciona a vacina?

vacina febre amarela

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), recomenda-se uma única dose de vacinação durante toda a vida, dada a criança com 9 meses de idade.

No entanto, estudos recentes demonstraram que a resposta imunológica diminui com o passar do tempo.

Assim, agora o Calendário Nacional de Vacinação oferece a segunda dose gratuita aos quatro anos de idade.

Grupos prioritários

Crianças de 9 meses e 4 anos de idade devem receber a imunização.

No entanto, a vacina é recomendada para todas as pessoas que frequentam áreas de risco e para viajantes. 

Quem não deve tomar a vacina?

Portadores de HIV positivo e pacientes em tratamento quimioterápico e transplantados devem consultar um médico sobre a necessidade da vacina.

Idosos e mulheres grávidas só devem ser vacinados se residirem próximo ou se frequentarem locais com transmissão ativa da doença e desde que não possuam contraindicações para receber a vacina.

febre amarela vacinação

Mulheres que estão amamentando devem suspender a amamentação durante 10 dias após a vacinação e devem procurar um serviço de saúde para realizar o acompanhamento antes de retornar o aleitamento.

Não devem ser vacinadas pessoas com imunossupressão secundária à doença ou terapias, pacientes que façam uso de anti-metabólicos, pessoas que apresentaram reação alérgica ou doença neurológica após a primeira dose da vacina, pessoas alérgicas a ovo e pessoas com doença do timo.

Documentos para levar no dia da vacinação

No dia da vacina é necessário levar a certidão de nascimento ou documento de identidade e a carteirinha de vacinação da criança.

Datas e locais de vacinação Febre Amarela São Paulo 2020

As datas para vacinação contra a febre amarela em São Paulo em 2020 ainda não foram divulgadas.

Geralmente, as campanhas acontecem entre junho e julho, contando com o “Dia D”, um dia especial de funcionamento dos postos de saúde aos sábados para atender os cidadãos que não podem ser imunizados durante a semana.

As datas para início das campanhas serão definidas por cada estado de acordo com o Plano de Implantação.

No entanto, a vacina da febre amarela pode ser obtida durante todo o ano em postos de saúde específicos de São Paulo. Para conferir o local mais próximo de sua residência, acesse aqui ou aqui.

Em seguida, siga os passos:

1- Busque por endereço e digite o seu endereço com número,
2- Clique em “Moro neste endereço”,
3- Clique na opção “Exibir” no mapa sem ter nenhum item ou filtro selecionado,
4- Clique em “Buscar”,
5- O mapa mostrará seu endereço e a unidade de referência.

Na coluna da esquerda conterá informações sobre a unidade – nome, endereço, telefone e horário de funcionamento.

Surto da doença

O Brasil não possui registros de febre amarela urbana desde 1942.

No entanto, até metade de 2019 foram 66 casos registrados de febre amarela silvestre, sendo 12 destas pessoas foram mortas. A maior parte dos casos ocorreu em São Paulo, sendo que 94% deles têm como local provável de infecção os municípios do Vale do Ribeira.

Um caso foi registrado na região de Campinas, no município de Serra Negra e outros três casos na região de Sorocaba, nos municípios de Ribeira, Apiaí e Ribeirão Branco.

Além disso, diversos primatas foram encontrados adoecidos ou mortos em 2019.

Patrícia Fischer

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content