Vacina Tríplice Viral 2020: Como Funciona? Veja Aqui!

A Vacina Tríplice Viral é uma simples e muito eficaz, que protege contra três doenças diferentes: o sarampo, a caxumba e a rubéola. Ela é geralmente aplicada na infância, após o bebê completar 12 meses de vida, com uma segunda dose sendo aplicada os 15 meses de vida.

Se você ainda não levou seu filho para tomar ou se nem mesmo você tomou, dirija-se o quanto antes a uma unidade de saúde pública ou particular para se prevenir.

Neste artigo, trataremos justamente a respeito da Vacina Tríplice Viral, dando dicas e informações importantes, inclusive sobre como tomá-la neste ano de 2020. Confira!

No que consiste a vacina tríplice viral e quando tomar?

No que consiste a vacina tríplice viral e quando tomar?

Dá-se o nome “tríplice viral” à vacina porque ela protege justamente contra três doenças causadas por vírus: sarampo, caxumba e rubéola. Essa vacina é a única medida preventiva (e mais segura!) contra as doenças mencionadas e deve-se tomá-la sem atraso.

Além de segura, a proteção resultante da vacinação é duradoura, o que significa que ela continua protegendo o indivíduo praticamente por toda a vida, desde que tomada corretamente.

A tríplice viral deve ser tomada logo nos primeiros meses de vida. A primeira dose é aplicada aos 12 meses e a segunda aos 15 meses de idade.

Caso você não tenha sido vacinado ou não tenha levado seu filho para receber a vacinação, ela pode ser aplicada em qualquer momento da vida, mas é recomendado que você procure tomá-la o quanto antes.

Para pessoas de até 29 anos que ainda não tomaram a vacina, ela será aplicada em duas doses. Para aqueles maiores de 30 anos, a vacina consistirá em uma dose única.

Em todos os casos, a vacina demora até duas semanas para começar a surtir efeito, e alguns efeitos colaterais poderão ser sentidos.

→ Veja como tomar a vacina penumocócica

Como ela é aplicada?

A vacina tríplice viral é aplicada por via subcutânea, ou seja, no braço.

Qual o grupo de prioridade?

O grupo de prioridade são bebês com 12 ou mais meses de vida (uma vez que a primeira dose é aplicada aos 12 meses e a segunda aos 15 meses devida) e todos aqueles que, por alguma razão, não receberam a vacina.

Mulheres em idade fértil e profissionais da saúde também fazem parte do grupo com prioridade.

Quem não deve tomar

A vacina Tríplice Viral é contraindicada para os seguintes pacientes:

  • Gestantes;
  • Bebês com menos de 12 meses de vida;
  • Pessoas com hipersensibilidade sistêmica à neomicina ou qualquer outro componente da fórmula;
  • Pessoas que tenham mostrado hipersensibilidade com outras doses de vacinas de sarampo, caxumba e/ou rubéola;
  • Pessoas com grave imunodeficiência humoral ou celular, como infecção sistêmica pelo HIV;
  • Pessoas com problemas raros de intolerância hereditária à frutose;
  • Pessoas com antecedente de ingestão de reação inflamatória sistêmica por ingestão de ovo de galinha;
  • Pessoas que tiveram administração de imunoglobulina humana padrão, sangue total ou plasma nos três últimos meses.

Onde e quando tomar a vacina tríplice viral em 2020?

A vacina tríplice viral pode ser tomada tanto por meio da rede pública de saúde quanto pela rede privada. Por meio da rede pública, basta dirigir-se à unidade mais próxima de sua casa, munido com sua carteira de vacinação (ou de seu filho) para obter mais informações e, muito provavelmente, receber a vacina já no mesmo dia.

No caso da rede privada, é preciso conferir se o plano de saúde cobre a vacinação. Geralmente ele cobra, não sendo necessário pagar por ele à parte, mas é sempre bom se informar diretamente com o hospital em questão.

A vacina pode ser tomada em qualquer época do ano e em qualquer idade acima dos 12 meses de vida. Se você ainda não tomou, não perca mais tempo e dirija-se o quanto antes a uma unidade de saúde. Alguns estados realizam campanhas de vacinação específicas em determinadas partes do ano e contra determinadas doenças: portanto, é sempre bom estar atento às campanhas.

Marcela Mazetto

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content